Chögyam Trungpa

Trabalho, Sexo e Dinheiro

  • Em Promoção
  • €13,46
  • Preço normal €14,95


SINOPSE

Trabalho, sexo e dinheiro são das principais coisas que instintivamente procuramos na vida para a nossa satisfação, ainda que a vida quase nunca as forneça. Mas, como combinar o sagrado com a nossa vida diária e praticar a atenção plena? Chögyam Trungpa mostra-nos como demolir a barreira artificial, que construímos, entre a nossa prática espiritual e estes aspectos inevitáveis da vida, a fim de revelar a sua sacralidade, aprender o que eles têm para nos ensinar e fazer escolhas sábias e oportunas quando eles se manifestam na nossa vida.

Este livro quebra a barreira entre o espiritual e o mundano, mostrando que o trabalho, o sexo e o dinheiro fazem parte tanto da nossa vida espiritual quanto da nossa existência quotidiana: O trabalho inclui princípios gerais de atenção plena e consciência relacionados com o modo como conduzimos a vida quotidiana, bem como uma discussão sobre ética nos negócios e no local de trabalho. O sexo é sobre os relacionamentos e a comunicação como um todo. O dinheiro analisa a forma como vemos a economia do sustento e o dinheiro como uma «energia verde» que afeta as nossas vidas. O resultado é uma visão inclusiva da vida, que engloba os maiores problemas e os mais ínfimos detalhes do dia a dia.

Existem muitas respostas nestas páginas. E uma sabedoria autêntica que nos fornece as ferramentas de que precisamos para lidar com os aspetos mais diversos das nossas vidas.

CRÍTICAS
«Chögyam Trungpa oferece-nos um livro provocante, intrigante e excelente da perspetiva budista sobre a nossa mente e vida.»
Daniel Goleman

«Um poderoso incentivo para despertar os nossos corações destemidos e sábios - de um dos mestres mais notáveis e brilhantes dos tempos modernos.»
Jack Kornfield

«Este livro de Chögyam Trungpa fornece o há muito desejado elo perdido entre os ensinamentos profundamente poderosos sobre a espiritualidade e as realidades da vida do século XXI no Ocidente. Pessoalmente, estou extremamente grata.»
Susan Piver