Avançar
O novo livro da autora bestseller já disponível. Clique aqui.
O novo livro da autora bestseller já disponível. Clique aqui.
COMO AJUDAR UM AMIGO DE LUTO: 5 regras básicas - Alma dos Livros

COMO AJUDAR UM AMIGO DE LUTO: 5 regras básicas

Há quem tenha tanto medo de dizer ou fazer uma coisa que não esteja certa, que prefere não fazer nada, o que é com certeza uma opção, mas nem sempre boa, defende a autora de Está Tudo Bem Não Estar Tudo Bem. Se bem que não haja uma maneira perfeita de responder ou apoiar uma pessoa de quem gostamos, eis algumas regras básicas:


1. Mantenha-se presente e declare a verdade 

É tentador falar do passado ou do futuro quando a vida presente do nosso amigo está destroçada. Que a vida do nosso amigo tenha sido boa no passado não justifica a dor que agora sente. Mantenha-se presente junto dele, mesmo que seja doloroso. Não podemos saber se o seu ente querido «já terminou o seu trabalho aqui» ou se «está num lugar melhor». Essas banalidades generalizadas, omniscientes e baseadas no futuro não ajudam. Atenha-se à verdade: isto custa muito. Gosto de ti. Estou aqui.
 
2. Não tente reparar o irreparável

A perda do nosso amigo não pode ser reparada, arranjada ou resolvida. A dor não pode ser melhorada. Não diga nada que tente reparar o irreparável, e estará a fazer o necessário.
 

3. Antecipe, não pergunte

Não diga: «Liga-me se precisares de alguma coisa», porque o seu amigo não o fará. Faça antes ofertas concretas: «Na quinta-feira venho às quatro da tarde para levar o lixo para os contentores da reciclagem», ou «Passo por aqui todas as manhãs antes de ir para o emprego para dar um passeio rápido com o teu cão.» Seja uma pessoa em quem se pode confiar.
 
4. Fazer coisas recorrentes

O trabalho real, pesado e autêntico do luto não pode ser feito por si (ver o n.º 1), mas pode diminuir a carga das exigências da vida «normal» para o seu amigo. Haverá tarefas recorrentes que possa realizar? Coisas como passear o cão, ir à farmácia e trazer o correio são bons exemplos. Apoie o seu amigo em coisas pequenas e simples, mas, por favor, tente não fazer nada que seja irreversível — como lavar a roupa ou limpar a casa —, a menos que lhe pergunte primeiro. A garrafa de refrigerante que está ao lado do sofá pode parecer lixo, mas pode ter sido deixada pelo marido um dia antes. A roupa suja pode ser a última coisa com o cheiro dele. Percebe o que quero dizer? Pequeninas coisas tornam-se preciosas, pergunte primeiro.
 
5. Amor

Mostre sobretudo o seu amor. Apareça, diga qualquer coisa. Faça qualquer coisa. Disponha-se a ficar ao lado do fosso que se abriu na vida do seu amigo, sem estremecer ou voltar as costas. Prepare-se para não ter respostas. Escute. Esteja lá. Esteja presente. Seja amigo. Seja amor. O amor é algo que dura.

Pode consultar as restantes 6 regras definidas pela autora nas 3 últimas páginas do livro Está Tudo Bem Não Estar Tudo Bem.

Anterior O novo (e lindo) Caderno de Leituras

Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes da publicação

* Campos obrigatórios